Chegou…

Depois de inúmeras horas de estudo, não sei quantas mil páginas lidas resumidas em 104 páginas no Word, 2 quilos a mais nos quadris (eu sou do time “Food is my friend” quando estou ansiosa…nunca entendi essa coisa de “tô muito nervosa para comer…”), e urticária nervosa que se espalhou pelo corpo todo (essa foi novidade…NUNCA tive reação física a estresse…tô me coçando que nem cachorro pulguento desde sábado), a tão temida prova de campo do doutorado é hoje…claro que não escrevi esse post hoje, né?! Tava programado há um BOOOM tempo…

São oito horas de prova escrita (quatro questões) seguida por uma prova oral (com a banca de professores) que será daqui a duas semanas. E não basta passar. Tenho que passar “com honras” ou “muito bem” (juro que as categorias de nota são essas…). Caso contrário, não recebo o mestrado de ciência política e não posso avançar ao próximo nível do doutorado, que é o M. Phil., ou mestrado em filosofia (apesar de não ser relacionado à filosofia…).

Obs: O M.Phil. é o título que você recebe após ter completado as matérias do doutorado, mas antes da defesa da tese, ou seja, é o “cargo” de pesquisador. Para quem é familiarizado com o mundo acadêmico, também é conhecido com A.B.D., ou seja “All but dissertation” (ou entre as línguas mais afiadas, “All but done”).

De qualquer forma, hoje é um dia mega importante, então torçam por mim!
Ah, e a trilha sonora do dia é

E para deixar o post de hoje mais alegre e light, aqui algumas dicas da Poli, sobre como estudar:

Primeiro, a gente se joga nos livros e nos artigos, para absorver tudinho

As vezes, a gente fica tão frustrada com o material (ÓDIO DO HUNTINGTON!), que dá vontade de rasgar tudo!
Para controlar as frustrações e a ansiedade, nada como vários lanchinhos (de preferência, com comfort food e, é claro, fora da dieta…)
Dormir na mesa ou no laptop é super normal, não se preocupe se isso acontecer. 
E se o sono for incontrolável, nada que um café da Starbucks não resolva.
E depois de ter feito a prova, entregue o paper, ou terminado a dissertação, nada melhor que um bom cochilo de 12 horas. 
Observação: a Poli teve que pular um passo muito importante, pois ela não pode participar efetivamente desta atividade. Mas mesmo assim, ela recomenda que, antes do cochilo de 12 horas e após as provas, aja uma bebemoração com os colegas de turma que também passaram por esse processo. 
Afinal, ninguém é de ferro. 
Nada diz “férias!” como uma boa piña colada! Com direito a guarda-chuvinha de papel é tudo!
(eu sei que o semestre mal começou e ainda tenho 3 meses de aula, mas depois desse esforço acadêmico, preciso de uma bebidinha com clima de férias para brindar)

8 comentários sobre “Chegou…

  1. Querida, não vim desejar boa sorte. Vim desejar boa comemoração hoje à noite, pois tenho certeza que vc terá ido maravilhosamente bem! Muitas, muitas felicidades na nova etapa e parabpens por tudo que vc conquistou!
    bjs,
    PS: que fotos mega fofolétias da Poli! Ela parece tão calminha! Maqui já está mostrando que é beeeeeem serelepe rsrs

    Curtir

  2. Muito muito muito muito pensamento positivo pra ti!!!
    Lembrei de quando o pessoal defendia o trabalho lá no Fundão e saia com um sorrisão que não era sorriso de felicidade, mas de alívio!
    E me lembrou também uma prova de modelos lineares generalizados: a prova começou às 8 da manhã. Lá pra uma da tarde o menino mais cabeçudo da turma foi falar com a professora que tinha travado em uma das questões e sabe o que ela respondeu? “Ah, lá em casa eu desenvolvi até a sexta página e depois desisti!” oO
    Eu saí daquela prova por volta de 17h, mas teve gente que continuou!

    Náááh! O vestido era de uma loja normalzinha, Fashion Noivas, acho… Sabe o que me deixa mais fula? Minha mãe disse que vai gastar uns R$500 de tecido [se tiver na Casa Pinto. Se precisar ir na Nuance, Assuf ou Casa Alberto tem que multiplicar esse valor por 3]. Se ela fosse fazer pra alguém de fora cobraria no máximo uns R$2300 de mão de obra. Mesmo comprando o tecido nas lojas mais caras, não sairia pelo preço do aluguel!
    É pena que ela não tem a mínima paciência com noivas, senão estaria ganhando uma grana alta! Já minha tia [que está terminando dois vestidos pro início do mês e gosta mesmo de trabalhar com noivas] está quase convencida de eu mostrar o trabalho dela no blog… =)

    Lembra daquele cara que a mulher teve um caso com o Chico e depois eles continuaram casados? Elmo falou que ele é o único não-corno-já-traído do Rio. É o único que pode dizer: minha mulher saiu com ele e voltou pra mim!

    Beijão!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s