3o Dia: Roma Antiga e exaustão total!

Após um dia inteiro de igrejas, resolvemos passar nosso sábado viajando no tempo, pelas ruínas de Roma. Nossa primeira parada: o Coliseu!
Fica a dica: se possível, compre a entrada para o Coliseu online, pois a fila para entrar é beeeem longa e no sol fervendo de Roma. Agora, se você não comprou com antecedência, minha sugestão: pule a fila quilométrica e vá direto na fila para “ingresso com audio-guia” (é a fila do meio). Você paga 5,50 euros a mais para ter o audio-guia (que vale a pena, pois você aprende muito mais!) e não precisa ficar na fila IMENSA…A única coisa chata do audio-guia é que o tour começa no segundo piso do Coliseu, ou seja, você passa por todos os points do 1o andar (sem escutar a explicação no audio-guia) e vai para o 2o andar, para depois voltar e fazer o caminho reverso…não é o método mais eficiente de fazer um audio-guia, mas, como aprendi, eficiência e logística não são os pontos fortes dos italianos… 
Chega de blá blá blá e vamos logo as fotos do Coliseu. 
Você sabia que o nome “Coliseu” não vem do tamanho do estádio em si? A origem desse nome vem da estátua que ficava em frente ao estádio, o Colossus Neronis, uma estátua gigantesca de bronze, de quase 40 metros, do emperador Nero, erguida ali em 64-68AD. Infelizmente, a estátua foi destruída no século 5.
O Coliseu (também conhecido como Amphitheatrum Flavium) foi construído entre 68-79AD, capaz de abrigar 50.000 pessoas para seus “espetáculos.” Ele foi utilizado durante 500 anos, e nos séculos 15 e 16, os materiais nobres (mármore e outras pedras) do Coliseu foram saqueados para a construção de novos monumentos. Desde então, ele é raramente utilizado para eventos.
Uma das coisas que mais impressiona sobre o Coliseu é como ele foi construído. A obra é monumental!  Como o Thiago mencionou várias vezes, bem ou mal, o Coliseu indica como o valor da vida humana naquela época era baixo (não só pela atrocidade dos “espetáculos” mas também quando consideramos quantas pessoas devem ter morrido durante a construção). 

O ingresso do Coliseu dá acesso às ruínas do Fórum Romano, que ficam bem pertinho do estádio. Esse arco enorme (e triunfal) é o Arco di Constantino, que foi construído em 315, para comemorar a vitória de Constantino I sobre Maxentius na Batalha da Ponte Mílvio em outubro de 312.

Vista das ruínas do Fórum Romano, o centro comercial de Roma Antiga. Essas colunas todas eram o Templo de Saturno, construído em 42 BC.

Fórum Romano visto do Monte Capitolino, com o Coliseu no fundo. 
Esse muro com as colunas magrinhas pertencia ao Templo de Vesta, a deusa do lar. O Templo de Vesta tinha uma chama acessa 24 horas, protegida pelas guardiães de Vesta, mulheres virgens que dedicavam suas vidas à deusa. 

Essas três colunas pertenciam ao Templo de Castor e Pollux, irmãos gêmeos, filhos de Júpiter e Leda. O templo foi erguido para comemorar a vitória de Roma na Batalha do Lago Regillus em 493BC.

O Templo de Saturno visto de pertinho. 

Após nosso passeio por Roma Antiga, resolvemos pular vários séculos no tempo e fomos para o Il Vittoriano, o monumento gigantesco (e na minha opinião, meio cafona) homenageando o Rei Vittorio Emanuelle II, o primeiro rei da Itália unificada. O monumento foi projetado em 1885 e inaugurado em 1911. Dentro do Il Vittoriano tem um museu bem interessante sobre a história da unificação da Itália e também tem um elevador panorâmico (que nós não pegamos).

O Thiago gostou bem mais do Il Vittoriano do que eu. Porém, até ele achou a dimensão do monumento um pouco exagerada…sabe aquela história “Homem que dirige carro enorme tá querendo compensar por algo pequeno”? Pois é…de acordo com o Thiago, o tamanho desse monumento (e vários outros em Roma, homenageando o Vittorio Emanuelle) é para compensar algo pequenininho…

Apesar de achar o monumento completamente over e meio cafoninha (sei lá, ele parece não “combinar” com o resto de Roma…) vale a pena a visitá-lo, pois a vista lá de cima é linda! (e nem é necessário pagar para pegar o elevador panorâmico…a vista no topo da escadaria é maravilhosa e de graça…)

As ruínas do Mercatus Traiani visto do Il Vittoriano. Além de ser o primeiro “shopping center” do mundo, essa construção também abrigava o centro administrativo do Imperador Trajano (98-117AD).

O Coliseu no fundo, com as poucas árvores que existem em Roma.

6 comentários sobre “3o Dia: Roma Antiga e exaustão total!

  1. Meu sonho é conhecer a Itália. Nós já falamos tanto sobre isso. Não seiq uando vamos realizar esse sonho, mas está na minha listinha de países a serem conhecidos.
    O Coliseu tem um valor histórico muito grande mesmo, marcou uma época de ditadura e desmoralizacão de vidas. Mas sabe o que me impressiona quando vejo as suas fotos?? Como aquilo tudo foi construído numa época em que não havia máquinas ou qualquer modernizacão da engenharia civil. Incrível.

    Bjos, as fotos estão lindas… Como sempre!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s