Obsessões Televisivas Inglesas: Call the Midwife

“Obstetrícia é a essência da vida. Cada criança é concebida no amor ou luxúria e nascido em dor, seguida de alegria ou pela tragédia e angústia. Cada nascimento é assistido por uma parteira. Ela está no meio dela. Ela vê tudo.” É assim que começa “Call the Midwife” (tradução: “Chame a Parteira”), uma série maravilhosa da BBC1.

A série é uma adaptação da trilogia semi-autobiográfica da Jennifer Worth, que, durante a década de 50, foi enfermeira e parteira em Poplar, um bairro pobre no East End de Londres. (Ah, a trilogia é maravilhosa e SUPER recomendo! Devorei os três livros rapidinho…)

O papel da Jenny Lee é interpretado pela charmosérrima Jessica Raines.

Jennifer (na época conhecida como Jenny Lee) começa a trabalhar na Nonnatus House, que ao invés de ser um hospital, é um convento composto por freiras que são enfermeiras E parteiras (vale lembrar que, na Inglaterra, até hoje, parteiras ainda são o alicerce da obstetrícia).

As freiras-enfermeiras-parteiras da Nonnatus House

Além das freiras, Jenny Lee também trabalha com três outras enfermeiras-parteiras que, assim como ela, residem na Nonnatus House.

Trixie, Chummy, Jenny e Cynthia: as quatro jovens enfermeiras. 
Junto com as freiras, as jovens enfermeiras são testemunhas do início (e as vezes, também do final) da vida em Poplar. Impossível assistir a um episódio e não se emocionar! (obs: marido assistiu o primeiro episódio e achou bem bacana…) Como sempre, a BBC faz um trabalho magnífico de produção, com fotografia magnífica, trilha sonora deliciosa, retratando a época fielmente, enquanto as personagens têm vida e são “reais” (sei lá, em geral acho que os ingleses têm mais sucesso em escrever personagens para a telinha que são concretos, com várias dimensões, ao invés da superficialidade da grande maioria dos personagens americanos…) 
Outra coisa que gosto muito da série é que ela consegue captar a realidade das pessoas que habitavam em Poplar na década de 50. E também é muito interessante como o seriado mostra a importância do National Health Service (o serviço de saúde pública da Inglaterra, o primeiro do seu tipo), que mudou a vida das comunidades mais humildes. 
A série é MUITO divertida, com momentos engraçados, emocionantes, e tristes, enfim, um prato cheio!

Atualmente, é uma das séries com maior audiência da BBC1, conquistando mais de 10 milhões de telespectadores. Como as boas séries inglesas, cada episódio dura uma hora e as temporadas são curtas (6-7 episódios por temporada, mais o especial natalino). A segunda temporada encerrou mês passado e a terceira só começará em janeiro de 2014 (ainda bem que teremos o especial de Natal em 2013, pois já estou morrendo de saudades das personagens!)

Pelo que li, a série é exibida no Brasil pelo Netflix, e recentemente ouvi falar que vai passar em algum canal da TV (não sei qual…) Quem não precisa de legenda/tradução, a série pode ser vista aqui (e a 1a temporada está no Netflix americano tb).

Não achei um trailer com legendas em português, então vai esse mesmo…


3 comentários sobre “Obsessões Televisivas Inglesas: Call the Midwife

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s